Unidos somos mais fortes

AlfaSol e organizações parceiras do projeto Educação Profissional estreitam  ainda mais os laços em encontro nesta quarta-feira

A atuação da AlfaSol com os jovens, por meio do projeto Educação Profissional, é realizada com organizações parceiras, que recebem os educadores da AlfaSol, e trabalham em conjunto para que os jovens tenham oportunidade de serem protagonistas da própria história. E, para que esse trabalho seja cada vez mais ampliado, a AlfaSol convidou os parceiros para que juntamente pudessem compartilhar os desafios, sugestões e soluções. O encontro aconteceu nesta quarta-feira (21) e, ao todo, 26 organizações estiveram presentes.

Tanto os parceiros, quanto a AlfaSol usaram “conexão” como palavra chave, a todo o momento do encontro. A começar pela primeira dinâmica, onde os representantes foram convidados a desenhar no papel um símbolo que o mais representasse e, logo em seguida, outra pessoa ligaria o seu desenho ao que também tivesse conectividade.

Viagem, amor, pessoas, arte foram algumas dessas representações. O objetivo foi mostrar que, independente de vivências e modos de atuações diferentes, o grupo está ligado por interesses comuns, inclusive, o de contribuir com o protagonismo juvenil.

IMG_4608

Atividade junta interesses em comum.

“Criamos uma rede que é uma forma de conexão. Hoje, estamos em um momento histórico difícil, onde os ânimos estão à flor da pele e parece ser mais fácil discordar do que concordar com o outro. Nosso objetivo é de unir por meio das nossas convergências e não se distanciar em função das divergências. Nessa perspectiva é possível nos unirmos cada vez mais”, disse Maristela Barbara, diretora da AlfaSol.

Os encontros, que acontecerão bimestralmente, para Rosa Ponte, coordenadora do projeto Educação Profissional, serão uma forma de ampliar essa rede de conexão. “Muitos de vocês estão com a gente há anos e ficamos muito felizes quando a AlfaSol bate na porta das organizações e vocês nos deixam entrar. Por isso, devemos nos aproximar cada vez e, dessa forma, contribuir ainda mais com nossos jovens”.

Como podemos contribuir?

Em grupos, os representantes das organizações parceiras colocaram, mais uma vez, problemas e desafios semelhantes listados e ideias de como a AlfaSol poderia contribuir também com soluções. “Uma das coisas que discutimos foi a atuação do educador como conhecedor do território onde está inserido as organizações. Acho que pode ser interessante esse educador conhecer antes o espaço, a realidade, o público que vai atender por meio de mapeamento. No curso de Turismo, por exemplo, entender quais os pontos turísticos da região, mas, além de pensar com o jovem, também trazer opções porque isso demonstra valorização do território e chama atenção dos adolescentes”, sugeriu Carina Gusmão, da Organização MOCA.

Ao todo, 26 ONGs participaram do encontro com a AlfaSol.

Ao todo, 26 ONGs participaram do encontro com a AlfaSol.

Outra discussão foi em relação a possibilidade de empregabilidade dos jovens participantes dos cursos. “Em conversa com os jovens, muitos deles também entram nos cursos com a esperança de conseguir um emprego. De que forma a AlfaSol poderia contribuir com esse aspecto?”, questionou Angela Mendonça, do CJ Ranieri. Em resposta, Maristela anunciou que a AlfaSol está no processo para se tornar organização formadora no âmbito da Lei de Aprendizagem, o que foi comemorado pelo grupo.

As demais sugestões, bem como desafios e soluções foram escritas e entregues para que a AlfaSol siga contribuindo e trabalhando junto com as organizações.